Mau hálito

 Drauzio – Atribuir o mau hálito a problemas estomacais, como muitos fazem, está correto?

Ronaldo P. Lima Barbosa – Esse é outro conceito errado. Se analisarmos fisiologicamente o problema, veremos que existem esfíncteres gastrintestinais que não permitem a passagem dos odores estomacais para o meio externo. Esfíncteres são válvulas que se fecham depois da passagem dos alimentos. Normalmente, o mau hálito pode ser atribuído ao estômago apenas em duas situações básicas: eructação gástrica, ou arroto, e refluxo gastroesofágico, quando há uma deficiência no funcionamento da válvula que separa o esôfago do estômago. Drauzio – Uma vez, conversando com o Dr. Dario Birolini, um médico de grande experiência em gastroenterologia, ouvi que, entre os inúmeros pacientes que havia examinado com queixas de halitose, nunca encontrou uma patologia de estômago que justificasse o problema.

 

06/02/19